Teve muita gente que torceu o nariz para esse tipo de filme de terror que lembrava muito um outro longa, lançado em 1999: A Bruxa de Blair. Mas o fato é que essa nova forma de thriller veio para ficar. Se não, ambos os filmes não teriam faturado tanto com um orçamento tão baixo e atraído o negativismo da crítica ao mesmo tempo que ganharam muitos fãs.

Atividade Paranormal 2 é tenso do começo ao fim // Terror Suspense

Uma aparente família composta de pai, mãe, filha adolescente, criança e cadela se mudam para uma nova casa. Dias depois ela é invadida e revirada de cabeça para baixo. Por medidas de segurança, o pai decide instalar câmeras pela casa. E são essas as imagens que vemos durante grande parte do filme, além dos vídeos feitos pela filha em sua handcam. Os personagens dessa vez fazem mais sentido na trama que se amarra de uma forma perfeita e explica a causa dos estranhos acontecimentos do primeiro filme. A esposa em questão é irmã da  protagonista do primeiro Atividade Paranormal. E mesmo tendo menos sustos e sendo mais lento no desenvolver da trama que seu predecessor, ele consegue ser ainda mais aterrorizante. Creio que o fato de ter um cão e uma criança no filme ajuda muito.

Tensão é a palavra correta para descrever o que o telespectador sente durante o longa. E por um simples motivo: não ter trilha sonora. A falta de tal artifício faz com que você fique o tempo inteiro ligado no menor dos acontecimentos. O barulho do vento, o caminhar de uma pessoa, os latidos do cachorro, o ranger da porta, tudo isso só te deixa mais e mais nervoso e apreensivo. O ingrediente principal nesse thriller.

Existe uma deixa para um possível terceiro filme, mas não acho que seria esperto da parte deles se apegar mais ao dinheiro do que a trama. A não ser que eles decidissem voltar bem ao passado e contar o porque de tal entidade perseguir as irmãs. Mas aí fugiria totalmente do modo como eles contam a história, já que voltando muito no tempo, não existiriam câmeras de vídeo.

Atividade Paranormal 2 arrecadou em sua estréia americana o equivalente a R$80 milhões de reais apenas no final de semana e teve um orçamento de R$ 3 milhões.

Fotógrafa, Roteirista, Crítica e futura Jornalista que acha impossível ser apenas uma única coisa, então escolheu ser muitas ao mesmo tempo. Tão mais Geek que Nerd, não sabe viver sem tecnologia, ou livros, ou filmes, ou televisão, ou quadrinhos...que acaba sendo algo tão Nerd quanto Geek...ai! Acredita que ser curioso é o que move o mundo e está sempre pronta a aprender sobre novos assuntos.